Ataques contra Homossexuais: até quando???

26/03/2011 23:53

 

Mais um ataque motivado pela ignorância, preconceito, violência gratuita de criminosos que são um  perigo à sociedade. 

 

Cada vez mais tenho tido a impressão de que esse esqueleto no armário está se mexendo a ponto de sair andando a qualquer momento. Algumas leis já avançaram para coibir esses covardes. Agora basta que tod@s @s cidad@s  compreendam isso, inclusive nossos legisladores: HOMOFOBIA É UM CRIME QUE FERE OS DIREITOS HUMANOS!!!

 

 

http://video.globo.com/Videos/Player/Noticias/0,,GIM1469427-7823-MAIS+UM+CASO+DE+VIOLENCIA+PODE+TER+SIDO+MOTIVADO+POR+HOMOFOBIA,00.html

 

O que não consigo entender é essa ideia de democracia que se mistura à formação e interpretação da redação da nossa Constituição.

 

SE SE TRATA DE UM DOCUMENTO QUE PREVÊ ATENDER A TOD@S - TODO CIDADÃO É IGUAL PERANTE À LEI - ENTÃO PORQUE AINDA QUEM MANDA É A MAIORIA??? Essas são as falhas no processo, existente em nações como o Brasil, de representatividade e não necessariamente democrático...

 

O Estado é laico! É???? Sim, deve ser! É o que diz a nossa Carta Magna

 

Ah!!! Antes que alguém cite a Constituição:

“Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes:

I - homens e mulheres são iguais em direitos e obrigações, nos termos desta Constituição;”

ONDE TEM AÍ A PALAVRA GAY???

Resp: NÃO tem. Porque não se nasce com o sexo GAY!!!

O que existe é o dimorfismo sexual:

Nascemos, em condições "normais” (exceto casos de hermafroditismo ou outro desses que a literatura médica possa descrever), MENINO OU MENINA.

O comportamento sexual (o exercício da sexualidade), a atribuição de gênero e a identidade de gênero só serão reveladas, experimentadas ou confirmadas DEPOIS, ao longo da vida do indivíduo e que possibilitam as escolhas e/ou adaptação.

 

Agora, vejam essa matéria... Fiquei surpresa pelo Jean, e pelo belíssimo trabalho que vem conduzindo. Agora, seu oponente, é realmente daquelas pessoas que perdem a oportunidade de colaborar com alguma coisa construtiva, ainda que para o grupo que ele representa.

Seria bom que a nação discutisse a questão religiosa nas instâncias decisórias e que tratam de legislações, de forma mais ampla.

Embora saibamos que é mais saudável que se mantenha como algo de caráter privado. 

Quando colocadas as convicções religiosas no plano político, tem resultado em dramáticas ações e reações que mais apartam as pessoas do que propriamente cumprem com o nobre papel de reunir a comunidade em torno de Deus, ou outra entidade considerada importante e de caráter divino pelo grupo religioso, e para o bem comum.

As convicções religiosas não podem mais pautar as decisões políticas!!!

 

 

http://revistaepoca.globo.com/Revista/Epoca/0,,EMI212480-15223,00.html